Por quê eu teria um Sistema Fotovoltaico?

Um dos principais pontos  é a  Inflação energética

A inflação energética no Brasil nos últimos 10 anos se encontrou acima do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é considerado o índice oficial de inflação do país. O valor médio de inflação energética nos últimos anos é de aproximadamente 10% a.a.

Impacto na Conta de Energia

Uma UC que tem despesa mensal de R$400,00 relativo à conta de energia. Ao longo de um ano o custo com energia elétrica nesta casa é de: 12 (meses) x 400,00 = R$4.800,00. Inflação energética no Brasil foi de 10% a.a. Fazendo a perspectiva para de 10 anos dentro desta realidade.

Registros de gastos anuais acrescido a inflação energética de 10% a.a.

Ano Valor   (R$)
2017 4.800,00
2018 5.280,00
2019 5.808,00
2020 6.388,80
2021 7.027,68
2022 7.730,45
2023 8.503,49
2024 9.353,84
2025 10.289,23
2026 11.318,15
TOTAL R$ 76.499,64

GASTO UC ANUAL: R$4.800,00 – 10% a.a.
GASTO EM 10 ANOS: R$76.499,64

DIMENSIONAMENTO E ORÇAMENTO ESTIMADO

Desembolso: R$400,00
Energia gasta: 520 Kwh/mês
Potência instalada: 3,26 Kwp
Valor estimado deste sistema: R$21.547,50
Valor pago no 4º Ano: R$22.276,80

Como não é difícil enxergar, vemos claramente que o gasto com energia elétrica, não deve levar em conta somente o gasto mensal. Se formos colocar o gasto anual, o montante será muito maior. E se ampliarmos esse valor ano, após ano, adicionando a inflação energética, vamos ter um valor expressivo ano a ano.
Vendo pela perspectiva do investimento, o sistema se paga em até 04 (quatro) anos. O quê podemos afirmar com isso? Bem, você não ficará totalmente livre dos ônus da concessionária, tendo que pagar taxa pela disponibilidade dos serviços da empresa. Mas a sua conta de energia poderá ter um desconto de até 90% (noventa por centro). Por exemplo: Se você paga R$200,00 de energia, depois do sistema instalado e funcionando, pagará somente R$20,00. Lembrando que este valor mínimo dependerá da taxa de disponibilidade da concessionária.

VOCÊ ESTÁ LIVRE DAS BANDEIRAS TARIFÁRIAS

Você sabe o que é Bandeiras Tarifárias? Não? Então iremos lhe explicar.

É o sistema que sinaliza aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. O funcionamento é simples: as cores das bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade. Com as bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente.

A partir de 2015, as contas de energia passaram a trazer uma novidade: o sistema de Bandeiras Tarifárias.

O sistema possui três bandeiras: verde, amarela e vermelha – as mesmas cores dos semáforos –  e indicam se a energia custa mais ou menos, em função das condições de geração de eletricidade:

Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;

Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,020 para cada quilowatt-hora (kWh) consumidos;

Bandeira vermelha – Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,030 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

Bandeira vermelha – Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,035 para cada quilowatt-hora kWh consumido.

O sistema de bandeiras é aplicado por todas as concessionárias conectadas ao Sistema Interligado Nacional – SIN, conforme figura abaixo. A partir de 1º de julho de 2015, o sistema de bandeiras passou a ser aplicado também pelas permissionárias de distribuição de energia.

Fonte: Aneel – http://www.aneel.gov.br/bandeiras-tarifarias